Português

Apresentação

O grupo de pesquisa PROTEXTO atua na linha de pesquisa Práticas Discursivas e Estratégias de Textualização do Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal do Ceará e reexamina, em diferentes estudos simultâneos, conceitos mais macrotextuais, como de interação, (hiper)gênero, argumentação, texto, sequência e plano textual, coerência e discurso; além de conceitos mais microtextuais, como referenciação, intertextualidade e heterogeneidades enunciativas.

Constatamos, desde o início da bolsa de produtividade (PQ – CNPq), que deve ser tarefa da linguística textual interpretar, individualmente, os sentidos dos textos em contexto, mas também analisar as regularidades que os aproximam, ao mesmo tempo que observar o que as “classes de textos” apresentam em termos de semelhanças e diferenças. Desse modo, como unidade singular da coerência textual no contexto da enunciação ampla, o texto precisa ser analisado, simultaneamente, pela interpretação de sua ocorrência particular e por suas próprias regularidades, sempre convocadas por uma orientação argumentativa: composicionais, genéricas, estilísticas, intertextuais, de articulação tópica, de referenciação anafórica e dêitica, de marcas de representação dos dizeres do outro.

Fundamo-nos, nesse aspecto, em Coseriu e a Adam quando sugerem que a linguística textual transita entre os níveis histórico e individual de consideração. Se alguns poucos traços dos textos são universais, para nós há regularidades históricas ligadas às práticas discursivas dos gêneros, que, em certa medida, influenciam modos culturalmente distintos de produzir sentidos e realizar as interações.

Em vista disso, este projeto tem interesse em rever as noções de gênero, de interação, de hipergênero, de suporte e de mídia com as quais a linguística textual deve lidar para ser coerente com seus princípios analíticos atuais. O texto passou a ser entendido pelo Protexto como enunciado multimodal completo, único e irrepetível, que se conclui como unidade de comunicação e que é reconhecível por sua unidade de coerência em contexto sócio-histórico